Ciática

Ciática

 Que é “ciática”? Como se manifesta?

 

A expressão mais própria seria nevralgia do isquiático. É uma dor, às vezes acompanhada de dormência, ardor ou formigamento, no trajeto do nervo. Às vezes, quando a manifestação é muito forte, o corpo responde com espasmos musculares, numa resposta reflexa de defesa. Alguns pacientes descrevem a ciática como um “choque elétrico”; outros, como a “sensação de que penetra na pele uma lâmina cortante”; ainda outros descrevem-na como “uma mordida inesperada”. Essa dor, geralmente de curta duração, costuma começar mais ou menos na altura da cintura e descer, pela parte de trás, até próximo aos dedos dos pés, passando pelo calcanhar. Pode limitar-se, entretanto, à região lombar e nádegas, ou descer, por trás, até o joelho. Às vezes atinge só a “barriga da perna”, o calcanhar e a planta do pé.

Nos casos mais graves é possível desenvolver-se, com o tempo, atrofia dos músculos enervados pelo ciático.

Como o ciático nasce de um numeroso feixe de fibras provenientes de diversas raízes, na coluna sacra e lombar, e se estende longe, até quase os artelhos, fica fácil entender por que são bastante comuns problemas nesse nervo.

A ciática é mais comum em homens que mulheres, talvez pela natureza das atividades masculinas, que “forçam” mais a coluna.

O incômodo pode manifestar-se de repente, depois de um esforço físico, ao erguer o corpo, levantar-se da cama ou da cadeira, escovar os dentes, tossir ou espirrar, ou após qualquer movimento do tronco. Em alguns casos, a ciática vem depois de um período de dor contínua nas costas, chamada lumbago ou lombalgia.

A dor desaparece subitamente ou alivia com a mudança de posição do corpo. No intervalo entre as crises pode persistir uma sensação de peso, aperto ou rigidez muscular. Nos casos mais graves o desconforto é contínuo, com fases de agudização, de dor lancinante.

 

Qual a causa?

 

A hérnia do disco intervertebral (hérnia de disco) é uma causa freqüente. O disco intervertebral, localizado entre as vértebras, é constituído de material flexível, fibrocartilaginoso, e funciona como amortecedor de choques. Quando ele se desloca, ou desliza para o canal da medula, saindo de sua posição anatô­mica, prensado pela coluna, pode pressionar as raízes de um nervo, produzindo dor.

As alterações na anatomia da coluna, disco e vértebras são resultado de repetidos traumas, queda ou acidente, erros de postura, levantamento de peso de modo incorreto, ou esforços físicos exagerados. Costumam instalar-se com o tempo. Por isso, é comum observar-se a ciática em pessoas mais velhas, em desportistas aposentados, em obesos, ou em quem quer que realize trabalho físico muito pesado.

 

Conselhos

 

O obeso exerce sobre a coluna, com seus quilinhos excedentes, tração esmagadora. Por isso, um dos primeiros conselhos é dirigido aos gordinhos, para que não se acomodem.

Deitar-se de modo incorreto é outra causa comum de ciática. Certifique-se de que seu colchão é adequado. Nunca dormir “de bruços”, mas “de costas” ou “de lado”, sem arcar as costas.

Ao levantar peso, forçar as pernas, nunca as costas. Não dobrar a coluna, mas as pernas. Antes de levantar peso, alongar-se. Aliás, todos deveriam começar o dia com exercícios de alongamento. O espreguiçar-se com vontade é um excelente alongamento natural dos músculos. Mas os que exercem atividades braçais, ou têm de carregar peso, precisam acrescentar à sua rotina os movimentos alongatórios e realizá-los várias vezes ao dia. Se você não está acostumado a exercitar-se, leva vida sedentária, passando a maior parte do tempo parado, é preciso começar a mexer-se. Mas cuidado: não exagerar. Começar e terminar os exercí­cios com alongamentos, e fazê-los com regularidade. Quem tem ciática deve buscar do ortopedista ou fisioterapeuta orientação adequada sobre exercícios.

Suplementos vitamínico-minerais

 

Certas deficiências nutricionais podem produzir ou agravar neuropatias inflamatórias. Recomenda-se o uso de suplementos de vitamina B1 e magnésio. Boas fontes: levedura de cerveja (de doze a vinte comprimidos ao dia) e clorela (de nove a quinze comprimidos ao dia).

Outros recursos

 

Banho de tronco e banho de assento em água quente, quinze minutos ao dia, são muito indicados. Compressas de argila aquecida na coluna lombar, por duas horas, são indicadas para o alívio das dores.

Usam-se também compressas de linhaça com gengibre, quentes, no local dolorido. Cozinhar a semente de linho em um pouco de água até tornar-se uma papa. Ralar o gengibre, misturar, envolver num pano, ou em panos, como um ou mais saquinhos, e aplicar no local. Pôr em cima uma bolsa de água quente.

Internamente pode-se usar cloreto de magnésio. A dosagem é indicada pelo fabricante.

Qual o mais longo nervo do corpo? Se você respondeu ciático (isquiático), acertou. Estende-se desde a parte inferior da medula espinhal até os pés, pela parte posterior do corpo. As manifestações dolorosas nesse extenso “circuito elétrico” do corpo trazem enorme desconforto a muitas pessoas.

Alimentação

Os naturopatas acreditam convictamente na relação da dieta com qualquer problema de saúde, de modo mais ou menos direto. No caso particular da ciática, erros alimentares crônicos podem produzir obesidade, que acaba complicando as coisas. Alimentação inadequada altera inúmeros fatores bioquímicos do sangue, que ocasionam modificações sutis na fisiologia de nervos, músculos e ossos, favorecendo ou agravando quadros de anomalias anatômicas, como a ciática.

Recomenda-se dieta alcalinizante, composta de abundantes porções de frutas e hortaliças frescas. Evitar excesso de laticínios, especialmente o queijo. Diminuir o consumo de sal; evitar carnes, frituras e açúcar. Valem todas as recomendações para uma dieta saudável e balanceada, como explicada nos capítulos 4 e 5.

A desintoxicação dietética é muito útil. Sugere-se um programa como o seguinte:

Passar alguns dias só com sucos:

8h — suco de laranja-lima ou maçã. Ou bebida alcalinizante (ver página 138).

11h — suco de maçã.

14h — suco de cenoura com couve.

17h — suco de laranja-lima ou de ameixa fresca.

20h — suco de mamão.

Durante uma ou duas semanas adotar dieta como a seguinte:

Desjejum: fruta ou suco fresco de fruta.

Almoço: salada com muito verde, uma colher, das de sopa, de grão-de-bico, brotos de feijão, brócolis, outros legumes cozidos, arroz integral e tofu.

Jantar: Frutas (mamão, pêssego, maçã ou pêra), coalhada e sementes de girassol.

Sugestões naturais de plantas, frutas e hortaliças

1º dia

1 limão

2º dia

2 limões

3º dia

3 limões

4º dia

4 limões

5º dia

5 limões

6º dia

6 limões

7º dia

7 limões

8º dia

8 limões

9º dia

9 limões

10º dia

10 limões

11º dia

9 limões

“Cura de limão”

É tradicionalmente indicada para alcalinizar e depurar o sangue a cura de limão (diluir em água):

 

 

 

 

Tomar os limões longe das refeições. Quem tem hiperacidez gástrica não deve fazer esse tratamento.

 

Abacate: Aplicar no local compressas quentes de chá das folhas do abacateiro.

Alecrim: Preparar, para uso externo, um cozimento com dez colheres, das de sopa, de folha de alecrim para cada litro de água. Tomar um banho quente de assento de quinze minutos, diariamente, com esse cozimento.

Aroeira-mansa: Preparar um cozimento com cinco colheres, das de sopa, de casca para cada litro de água. Tomar um banho quente de assento de 15 minutos, diariamente, com esse cozimento.

Chapéu-de-couro, cavalinha, salsaparrilha e tanchagem: Misturar em partes iguais e usar duas a três xícaras do cozimento ao dia, duas colheres, das de sopa, de ervas para 500ml de água. Antes de tomar, espremer um limão e pingar dez gotas de própolis a 30%.

Couve: Tomar meio copo duplo de suco de couve em jejum. Aplicar no local folhas cozidas ao vapor na forma de cataplasmas quentes. Renovar de hora em hora.

Eucalipto: Massagens locais com óleo de eucalipto.

Feijão: Aplicar no local cataplasmas quentes de farinha de feijão, misturada com água (remédio inspirado nos conhecimentos medicinais indígenas).

Laranja: Tomar o chá das folhas da laranjeira junto com erva-cidreira-verdadeira, duas ou três xícaras ao dia. Uma colher, das de sopa, das plantas picadas para 500ml de água. Ferver e filtrar.

Taiuiá: Usar, internamente, o decocto da raiz: 250ml divididos ao longo do dia. Uma colher das de chá para 250ml de água. Ferver e filtrar.

 

* Rouquidão e tosse persistentes exigem avaliação profissional.

12º dia

8 limões

13º dia

7 limões

14º dia

6 limões

15º dia

5 limões

16º dia

4 limões

17º dia

3

limões

18º dia

2 limões

19º dia

1 limão

Você sabia?*

Couve (Brassica oleracea)

É tradicionalmente indi­cada para combater asma, doença dos brôn­quios, cálculos bilia­res, reumatismo, rouquidão e tosse.

Modo de usar: Tomar o chá da couve, morno. Em caso de reumatismo, tomar meio copo duplo de suco de couve em jejum. Aplicar ao peito topi­ca­mente as folhas cozidas ao vapor na forma de cataplasmas quentes. Renovar de hora em hora. Não apli­car cataplasmas quen­tes em locais agudamente inflamados.

 


Programa Saúde Total

Levando informações aos ouvintes sobre saúde e qualidade de vida, valorizando os benefícios da natureza: ar puro, atividade física, água, luz solar, alimentação, repouso, abstinência e muito mais.