Vômito

Vômito

 Por que ocorre o vômito?

 

É enorme a lista de fatores responsáveis pelo episódio de vômito. É preciso estudar e combater a causa. Geralmente, o organismo rejeita e esforça­-se por expelir o que lhe possa fazer mal. Mas há casos em que o vômito é reflexo de desordens mais profundas, levando a importante perda hidroeletrolítica e à necessidade de reposição parenteral (soro endovenoso).

Entre algumas das possíveis causas de vômito, figuram toxi-infecções alimentares, intoxicações por produtos não ali­mentares, diferentes distúrbios gas­trintes­­­tinais (que vão de um problema de vesícula ao câncer), efeitos colaterais de certos medicamentos, cinetose (enjôo das viagens), drogas, álcool, infecções em geral, ver­minoses, doenças neurológicas, distúrbios psíquicos, gravidez, labirintite severa etc.

Os vômitos em bebês podem representar simples regurgitação (que até certo ponto, é considerada normal), ou adaptação do sistema digestivo da criança à dieta oral. Se os vômitos persistem ou são muito intensos, é preciso consultar o pediatra — podem indicar rejeição a algum alimento, como a proteína ou o açúcar do leite de vaca.

 

Tratamento*

* Estas indicações são tradicionais. Se os sintomas não desaparecerem, consultar um médico.

 

O tratamento variará conforme a causa. Quando há crise passageira de vômito, pode indicar reação depurativa natural do organismo, que não deve ser impedida. Algum alimento estragado, indigestão por abuso gastronômico ou excesso de comida podem ser a causa. Passada a crise, não se deve logo ingerir alimento sólido, mas manter repouso por algum tempo, e administrar, conforme aceitação do paciente, apenas líquidos, como soro de re-hidratação oral, água-de-coco ou suco de frutas (é melhor o suco fresco de maçã), que se tomam aos goles, vagarosamente, ensalivando bem.

Quando os vômitos são freqüentes (como em certas infecções) e há dor nos músculos abdominais, podem-se fazer compressas aquecedoras, compressas de argila (ver página 114) ou compressas com água morna sobre a barriga, enquanto o paciente permanece deitado em posição inclinada e toma, de dez em dez minutos (ou de quinze em quinze minutos), alternadamente, uma colherada de chá de espinheira-santa e, dali a dez ou quinze minutos, uma colherada de suco de cenoura.

Nas viagens, sugere-se mastigar bem devagar uma folhinha de boldo, pingar na boca umas gotas de suco de limão, própolis, ou cheirar a casca da tangerina (parte de dentro). Ver cinetose.

Na gravidez, ensina-se empiricamente que se deve mastigar bem e deglutir uma colher de sementes de abóbora levemente tostadas com um pouco de sal marinho.

Para combater enjôos, ver enjôo.

Se a causa for labirintite (ver labirintite) ou mau funcionamento da vesícula (ver digestão), o tratamento variará.

Em linhas gerais, é preciso estudar cuidadosamente a alimentação. Adotar dieta leve, mastigar muito bem e comer pouco, por algum tempo, é, para a maioria das pessoas, suficiente. A causa de freqüentes enjôos pode residir no consumo de frituras e doces, que devem ser removidos. A deficiência de vitaminas também pode produzir enjôo. Usar complexo B ou alguns comprimidos de lêvedo de cerveja após as refeições.

Chá amargo, como o de boldo-do-chile, carqueja ou losna, juntamente com erva-doce e espinheira-santa, tomado em pequenas quantidades, vagarosamente, aos goles, ao longo do dia, ajuda a contrabalançar distúrbios de origem digestiva, aliviando o mal-estar. Quando há queda de pressão, um pouco de sal sob a língua ou uma torradinha salgada aliviará o mal-estar, que pode incluir enjôo.

 

 

Você sabia?

Boldo (Boldo fragans)

É tradicionalmente indicado para combater distúrbios do fígado e da vesícula, má digestão, manchas da pele etc.

Modo de usar: Ferver em ½ litro de água 2 colheres, das de sopa, da planta picada. Deixar esfriar. Filtrar e tomar de 1 a 2 xícaras ao dia. Para doenças da pele, tomar banho de imer­são com o chá concentrado.


Programa Saúde Total

Levando informações aos ouvintes sobre saúde e qualidade de vida, valorizando os benefícios da natureza: ar puro, atividade física, água, luz solar, alimentação, repouso, abstinência e muito mais.