Sinusite

Sinusite

 Que é sinusite?

 

Sinusite é a inflamação da mucosa dos seios, ou sinus, faciais (nasais, esfenoidais e etmoidais), que são cavidades ósseas. Os seios se comunicam com o nariz por meio de pequenos canais. Quando há inflamação, a comunicação com o nariz fica interrompida, e ocorre aumento da pressão dentro dos seios, onde microorganismos irritantes produzem secreções. O resultado são dores fortes, muito incômodas, em torno do nariz ou na face, e fluxo nasal mucopurulento. A sinusite aguda pode ocorrer secundariamente a outra infecção, como a gripe, e há casos em que se torna crônica, indo e vindo intermitentemente.

 

Sugestões naturais

A dor de cabeça de muita gente tem como causa a sinusite. A face fica congestionada, o nariz “trancado”. Depois vem aquela secreção mucopurulenta, fétida. Há quem afirme que sinusite é um incômodo sem cura, porque vai e volta, massacrante. Quando a dor é insuportável, recorre-se aos analgésicos. Aqui você ficará sabendo como é possível tratar com êxito a sinusite por meios naturais.

Os naturistas não têm dúvida quanto à poderosa ação produtora de muco (mucogênese) dos laticínios e do açúcar, que também têm efeito alergênico e imunodepressor. A soma dessas ações pode levar diretamente à sinusite, ou agravar o quadro preexistente, de modo que a primeira recomendação é cortar laticínios (por algum tempo, principalmente o queijo), açúcar e doces. Também precisam ser eliminados refrigerantes, chocolate, frituras, gorduras e outros produtos não-equilibrados ou não-naturais.

Os naturopatas crêem que é possível curar a sinusite, e é isso que verificamos em nossa experiência, para alívio de muitos sofredores. Mas primeiro é preciso entender e aceitar que nossa alimentação de péssima qualidade desestabiliza as funções do corpo. Podemos ir mais longe: o estilo de vida do homem moderno agride suas defesas, que, desorganizadas, geram, em pessoas suscetíveis, diferentes tipos de alergia. Outrossim, o excesso de muco eliminado na sinusite é uma das maneiras de o corpo proceder à sua “descarga tóxica”.

Pesquisas apontam o consumo regular ou exagerado de laticínios, massas e doces como causadores dietéticos da sinusite.

Mudando-se o estilo de vida já vimos vários casos de cura completa da sinusite (muitas vezes, casos antigos, que não respondiam a qualquer tratamento). Isso requer:

1. Desintoxicação, para expelir do corpo os produtos de degradação que, acumulados e reciclados, entravam seu funcionamento (veja a seguir como fazer essa desintoxicação).

2. Mudança de hábito alimentar. Ver no capítulo 4 como adotar dieta sau­dável. Alimentos formadores de muco, como laticínios e açúcar, precisarão ser suprimidos por algum tempo. No caso dos laticínios, estes só poderão ser devolvidos à dieta na forma de coalhada, aos poucos, depois de certo tempo.

3. Uso de suplementos vitamínicos e minerais, para reequilibrar e fortalecer o metabolismo.

 

Alimentação*

* As dietas terapêuticas naturais são empregadas em clínicas naturistas e por medicinas tradicionais. Adote alimentação saudável, mas não mude radicalmente sua alimentação sem orientação profissional.

 

Inicialmente, uma desintoxicação à base de dieta líquida ajuda, segundo a trofoterapia, a fluidificar as secreções e a drenar os sinus. Passar alguns dias com dieta de sucos: tomar, de três em três horas, um copo de suco natural de fruta, ou comer a própria fruta, sem adoçar. Se preferir, suco de hortaliça, como cenoura com beterraba, ou cenoura com salsão. Manter repouso. Essa dieta pode durar um, dois ou três dias, sendo muito eficaz no alívio dos sintomas:

8h — Suco de maçã com mamão (não adoçar).

11h — Suco de laranja ou poncã.

14h — Suco de cenoura com salsão.

17h — Suco de laranja ou poncã.

20h — Suco de maçã. Se desejar, depois de tomar o suco, comer algumas torradinhas de pão integral.

Depois dos dias de dieta de suco, adotar dieta leve, alcalinizante, no mínimo durante duas semanas. Poderá ser necessário prolongar essa dieta por até um mês, ou mais, conforme o caso. Para evitar que o regime se torne monótono, variar as verduras e as frutas dia a dia. Sugestão de cardápio:

Desjejum: Suco natural de fruta. Se preferir, usar uma só fruta, como ameixa, maçã, uva, poncã etc. Ainda para variar, tomar exclusivamente um copo de coalhada (preferir coalhada de leite de cabra, e usar só depois de algum tempo). Se você tem alergia à proteína do leite, não usar coalhada.

Lanche: Água-de-coco.

Almoço: Suco de cenoura com broto de alfafa (um copo pequeno). Salada de grãos germinados (dar preferência ao broto de alfafa) com folhosos, raízes e bulbos. Exemplos: Salada de cenoura ralada com almeirão picado e broto de feijão. Salada de rabanete com broto de alfafa e cebola. Podem-se misturar vegetais cozidos à salada, como couve-flor, brócolis, vagem, abobrinha, beterraba etc. Comer primeiro a salada. Em seguida, saborear arroz integral bem cozido ou, se preferir, milho verde cozido. No começo, é ainda melhor usar abóbora cozida. Podem-se acrescentar algumas amêndoas e tofu, e polvilhar sobre o arroz integral um pouco de gersal (gergelim tostado e moído com sal marinho). O segredo é mastigar tão bem que a comida se transforme numa massa líquida na boca. Comer sem pressa. Devagar, ir introduzindo ovos de codorna cozidos.

Lanche: Água-de-coco.

Jantar: O melhor jantar é composto de frutas picadas com sementes de girassol e um pouco de cereais em flocos. Aos poucos, ir introduzindo variações, como torta natural de maçã, coalhada etc. Mas se o alimento desencadeia sinusite, evitá-lo ou diminuir sua quantidade.

Toda semana, ou a cada quinze dias, adotar um dia de dieta de sucos, para reforçar a desintoxicação.

Depois de três dias de dieta, começar a usar suplementos de vitamina E e complexo B, cuja dosagem deve ser estabelecida por um especialista.

O paciente deve aprender a relacionar a ingestão de alimento com a produção de muco. Quando nota que sua dieta está mucogênica, deve diluí-la e diminuir o teor de açúcares e farinhas, passando aos crus e aos sucos. Em seguida, deve paulatinamente regressar aos cozidos e aos alimentos mais densamente nutritivos. Trata-se de equilíbrio crucial para muitas pessoas que têm assinalada tendência à mucogênese.

Os estudiosos da nutrição ortomolecular recomendam, na sinusite, doses adicionais de vitaminas A e C. Usar um copo de suco de cenoura antes do almoço, e um copo de suco de acerola ao dia (sem açúcar).

 

Plantas e outros remédios tradicionais

Alecrim e outras plantas — Uma mistura de plantas muito eficaz contra a sinusite é alecrim-de-jardim, eucalipto, sálvia, malva e poejo. Usar essa mistura em infusão, de duas a três xícaras por dia. Derramar meio litro de água fervente sobre uma colher e meia, das de sopa, das plantas misturadas e picadas. Tomar o chá sempre com própolis: dez gotas a 30% para cada xícara. Fazer também, na fase aguda, inalações com as mesmas plantas, duas vezes ao dia.

Alfafa, tanchagem e poejo — Chá de alfafa com tanchagem e poejo, de duas a três xícaras ao dia, por pelo menos dez dias. Uma colher, das de sopa, das plantas misturadas para 300ml de água. Ferver e filtrar.

Alho — O alho, misturado com própolis, limão e mel, é excelente no combate à sinusite. Modo de preparar: maceram-se três dentes de alho em 70ml de água. Coa-se. Mistura-se uma colherinha de mel, um limão e sessenta gotas de própolis. Tomar uma colher, das de chá, dessa solução a cada hora, ou pingar algumas gotas diretamente na garganta, ao longo de todo o dia. Fazer novo preparado a cada dia.

Buchinha-do-norte — Para drenar secreções acumuladas, ferver meia buchinha em meio litro de soro fisiológico por cinco minutos. Deixar esfriar e conservar em vidro limpo e bem fechado. Aplicar uma ou duas gotas por narina, duas ou três vezes ao dia. Atenção: esse procedimento provoca grande descarga de muco, o que ocasiona enorme desconforto para certas pessoas. É melhor só usar esse tratamento com permissão médica.

Clorofila — Recurso simples que vem ajudando os pacientes de sinusite de modo notável. Compra-se em casas de produtos naturais. Diluir o suficiente para não arder ao contato com a mucosa. Pingar uma ou duas gotas em cada narina, antes de dormir.

Equinácea — Poderoso reforço imunitário, é muito indicada na sinusite. À venda em boas casas de produtos naturais. Dosagem tradicional indicada no rótulo.

Eucalipto — Inalação com folhas verdes de eucalipto, pelo menos uma ou duas ao dia, na fase aguda.

Verbasco, tussilagem e outras plantas — Recomenda-se a mistura das plantas: tussilagem, marroio-branco, casca de cereja silvestre, eucalipto e verbasco. Derramar meio litro de água fervente sobre uma colher, das de sopa, das plantas picadas e misturadas. De uma a duas xícaras ao dia. Fazer também, de uma a duas vezes ao dia, na fase aguda, inalação com as mesmas ervas. Caso você não as encontre no mercado, utilizar pelo menos o verbasco e a tussilagem.

 

Sugestões tradicionais para alívio da dor de cabeça

Outros procedimentos

 

Para aliviar a dor de cabeça, massagear as têmporas com óleo de hortelã, disponível em boas casas de produtos naturais.

Aplicar compressas úmidas, quentes, na região dos seios nasais, à noite, ou quando necessário. Não se expor ao frio em seguida. Esse procedimento alivia a dor de cabeça.

Pedilúvio quente, para descon­gestionar a cabeça. Mergulhar os pés em água quente durante dez minutos. Terminar com uma fricção de água fria.
Banhos quentes de imersão, sem molhar a cabeça, por vinte minutos, diariamente.

Acostumar-se com banhos frios-mornos rápidos, depois de uma sessão de exercícios, acompanhados de fricção com bucha natural. Observar o espaço de alguns minutos entre o exercício e o choque da água fria. Alguns especia­listas contra-indicam tomar ducha fria imediatamente após exercício estafante.

Evitar golpes de ar frio, e andar bem agasalhado.
Se o intestino vive congestionado, é conveniente tratá-lo. Proceder, com permissão médica, à terapia de enemas (ver prisão de ventre) e à geoterapia.

Para aumentar a resistência global do corpo, fazer fricções com água fria de manhã, seguidas de fricção com toalha seca. Tomar um banho vital diário. Caminhar descalço na grama molhada pelo orvalho, de manhã. Exercícios físicos moderados, diários, são imprescindíveis ao aumento da resistência do corpo. Observar, em cada caso, orientação médica para os exercícios.

* As plantas aqui citadas são empregadas por clínicas naturistas ou medicinas tradicionais, e as doses são também tradicionais. Lembrete: não suprimir a orientação médica.
Você sabia?*
Buchina-do-norte (Lufa operculata)
É tradicionalmente indi­cada para combater sinusite.
Modo de usar: Inalar o vapor. Deixar ferver mais ou menos ¼ da “buchinha” para um copo grande de água. O uso dessa planta requer cuidados, pois irrita as mucosas e age como drástico, produzindo abundante secreção mucopurulenta. Observar, portanto, orientação profissional.


Programa Saúde Total

Levando informações aos ouvintes sobre saúde e qualidade de vida, valorizando os benefícios da natureza: ar puro, atividade física, água, luz solar, alimentação, repouso, abstinência e muito mais.