Abelhas, Picadas de

Abelhas, Picadas de

 A gravidade do ataque por abelhas varia em função de dois fatores:

1. A sensibilidade de cada pessoa ao veneno. Algumas são muito sensíveis, como vimos.

2. A quantidade de veneno inoculada, que depende do número de picadas. Quando o ataque é maciço, e a vítima sofreu inúmeras picadas, é aconselhável, mesmo que não haja história de sensibilidade, encaminhá-la a um pronto-socorro.

 

Como prevenir?

 

É preciso dominar bem as técnicas apicultoras para lidar com abelhas. Especial cuidado se deve tomar com as espécies mais agressivas, como as africanas. Não se aproxime desnecessa­riamente de locais onde existam colméias. Evite andar desatentamente pelo mato. Afaste-se de locais onde se ouça forte zumbido, que indica a presença de enxames. Nunca ponha a mão em orifícos de árvores ou buracos no campo. As crianças, especialmente, devem ser advertidas e vigiadas quando em passeio por locais onde haja colméia; sua curiosidade pode levá-las a bulir com as abelhas. Não tente “tirar mel” sem absoluto conhecimento da operação. Mesmo dominando as técnicas, certifique-se de que o uniforme está completo e sem defeitos. Mesmo entre apicultores ocorrem acidentes, às vezes graves, causados por pequenos defeitos no traje protetor. As abelhas podem entrar por um pequeno furo. No caso de enxames que se instalem em locais inadequados, não tente retirá-los. Chame um apicultor experiente ou o corpo de bombeiros. Nuvens de enxames invasores representam grande perigo. Corra para um lugar abrigado e feche todas as entradas possíveis, vedando-as com panos e papéis. Se há mel em casa, guarde-o no refrigerador, pois é um chamariz para as abelhas. Não acumule lixo no quintal, perto de casa.

 

Outras medidas simples de prevenção

 

As abelhas se sentem atraídas por perfumes e loções. Talvez confundam-nos com o cheiro das flores. Evitá-los quando for passear em locais onde haja abelhas. Não usar roupas escuras. Os apicultores preferem as roupas claras pelo fato de os insetos atacarem os matizes mais escuros.

Ao fazer incursões na mata, onde haja muito inseto, usar repelentes.

 

Em caso de ataque...

 

Correr em zigue-zague por entre arbustos ou embrenhar-se no mato atordoa os insetos perseguidores. Se possível, pular na água ou entrar em um abrigo, fechando ou obstruindo o acesso.

Aipo — Cortar ao meio o talo do aipo e esfregar no local até desaparecer o ardor.

Alimentação — A alimentação deve ser leve, composta principalmente de sucos de frutas, saladas e cereais integrais. Mas essas medidas não dispensam a ida ao médico em caso de piora dos sintomas.

Carambola — Folha da caramboleira amassada (lavar previamente) sobre as picaduras. Renovar de duas em duas horas.

Chás diuréticos — Os naturistas recomendam o uso de chás diuréticos para ajudar a eliminar venenos. Entre eles a cavalinha, o chapéu-de-couro e a cana-do-brejo. Utilizar uma colher, das de sopa, da mistura das ervas para cada duas xícaras de água. Deixar ferver. Coar. Tomar ao longo do dia. Pode-se também tomar água com limão e algumas gotas de própolis (se não houver alergia ao própolis ou a picada de abelhas).

 

 

Na maioria das vezes, os acidentes com abelhas são banais. Produzem pequena reação inflamatória que logo se dissipa. Porém, há pessoas muito sensíveis a picaduras de abelhas, cujas reações são muito fortes: o rosto e/ou outras partes do corpo incham. Doem e ardem muito. Há mal-estar geral e até indisposição digestiva e tontura. Surgem grandes manchas avermelhadas e edemaciadas. Em casos extremos é possível ocorrer choque, mesmo choque anafilático. O acidente com insetos torna-se urgência médica. Podem surgir infecções secundárias, que produzem febre e diferentes reações inflamatórias. Felizmente, a maioria das pessoas não exibe complicações.

 

1. Se você é alérgico ou sofreu várias picadas, procure imediatamente um médico.

2. Abelhas, quando picam, injetam pequena dose de veneno na pele. Deixam o pequeno ferrão, que deve ser removido, quanto antes, por raspagem, cuidadosamente. Porém, se possível, primeiro lavar o local com água e sabão, ou álcool, para evitar contaminação com germes. Lavar também as mãos. Quanto mais tempo o ferrão permanecer na pele, maior será a quantidade de veneno injetada.

3. Sugere-se, para remover o ferrão, numa situação em que não haja outro meio, usar a unha, com cuidado, em movimento de raspagem. Valem também uma lixa de unha e mesmo a borda de um cartão. Conforme o caso, uma pinça poderá ajudar. No ferrão da abelha há uma bolsa que contém veneno. Durante alguns minutos, este veneno é inoculado na pele. É preciso atenção para não espremer a bolsa peçonhenta.

4. Para aliviar a dor pode-se usar:

Gelo: aplicar um cubo de gelo diretamente sobre o local. Isto evita que o veneno se espalhe e previne o inchaço.

Argila: Aplicar argila limpa com um pouco de água diretamente sobre o local. No campo, pode ser o recurso mais fácil. Entretanto, cuidado, para não usar argila contaminada. Obtê-la de escavação de barranco onde não haja moradias ou criação de animais, de boa profundidade, com ferramentas previamente limpas.

Carvão: Usar o pó de carvão ativado. Pode-se usar o carvão em cápsulas. Remover o pó das cápsulas e misturar com um pouco de água.

Amoníaco: Aplicar amoníaco caseiro no local, levemente, sem esfregar.

Bicarbonato de sódio: Aplicar no local uma mistura de bicarbonato de sódio e água.

Medicamentos específicos: Caladryl, Nupercainal e Urtivac em pomadas são úteis em aplicações tópicas.

No caso de a zona afetada ser perto do olho, ou situar-se em mucosas, como lábios, interior da boca, ouvido, nariz ou genitálias, não se podem usar recursos como amoníaco, bicarbonato ou argila. Um pequeno pedaço de gelo, que se encoste de leve no local e se retire em seguida, pode ajudar. Se ocorrerem picaduras em locais muito sensíveis, como pálpebras, é preciso recorrer a um médico.

Como agir em caso de picadura?

* As plantas aqui citadas são empregadas por clínicas naturistas ou medicinas tradicionais, e as doses são também tradicionais. Lembrete: Não suprimir a orientação médica.

 

 

Plantas e outras sugestões naturais*

 

Você sabia?*

Cana-do-brejo (Costus spicatus)

É indicada contra picadas de insetos, alguns distúrbios dos rins, cistite.

Modo de usar: Ferver em ½ litro de água 2 colheres, das de sopa, da planta picada. Deixar esfriar. Filtrar e tomar ao longo do dia.

 


Programa Saúde Total

Levando informações aos ouvintes sobre saúde e qualidade de vida, valorizando os benefícios da natureza: ar puro, atividade física, água, luz solar, alimentação, repouso, abstinência e muito mais.