Tiroide, Doenças da

Tiroide, Doenças da

 Bócio simples

 

Doença comum no passado, é hoje um mal sob relativo controle. Causado pela deficiência de iodo, mineral necessário à síntese do hormônio tiroi­deano. Quando a tiróide não consegue fabricar satisfatoriamente seu hormônio, aumenta de tamanho, numa tentativa de compensação, manifestando-se o bócio, ou papeira. Essa doença caren­cial é mais comum em regiões afastadas do litoral, onde os habitantes praticam a agricultura de subsistência, pois o solo e a água, nesses locais, costuma ser pobre em iodo. O uso de sal iodado e algas marinhas é suficiente para erradicar o bócio simples.

 

Hipertiroidismo por doença de Graves-Basedow, ou bócio difuso tóxico

 

Neste caso, a tiróide é hiperativa. Cresce e torna-se intensamente vascu­la­rizada. Aparecem sintomas bem característicos, como papeira e olhos saltados. A causa profunda da hipera­tividade tiroideana é desconhecida, embora se saiba que as células funcionais se multiplicam além do normal (hiperplasia). Estudiosos relacionam o aparecimento dos primeiros sintomas ao estresse físico e/ou emocional. Um hormônio produzido por outra glândula, o TSH (estimulante da tiróide), segregado pela hipófise, pode ser o causador do problema. Admitem alguns especialistas que a tiróide se torna hipersensível ao TSH, aumentando de atividade.

A doença de Graves-Basedow é mais comum em mulheres jovens. A proporção é de oito mulheres doentes para cada homem.

O hipertiroidismo exibe sintomas como: emagrecimento, nervosismo, agitação, debilidade, insônia, “encurtamento do fôlego”, sensibilidade ao calor, sudorese, taquicardia (batimentos cardíacos rápidos), tremores, palpitações, olhar fixo e presença de bócio (aumento da glândula). Os olhos saltados (ou “olhos de sapo”) são característica desse tipo de hipertiroidismo (doença de Graves-Basedow) que, por esse motivo, também é conhecida como bócio exoftálmico. Outros sintomas característicos dessa modalidade de hiperti­roidismo são a inflamação da conjuntiva (conjuntivite) e a alteração dos músculos extraoculares, com aparecimento de visão dupla e embaçada. O coração sofre hipertrofia e a pressão sobe.

 

Hipertiroidismo por bócio nodular tóxico, ou doença de Plummer (tumores na tiróide)

 

A tiróide pode apresentar diferentes tipos de tumores (adenomas), que alteram seu padrão de funcionamento. Tumores benignos de tecido hiperativo contribuem para o aumento dos níveis de hormônio tiroideano, produzindo os sintomas comuns ao hipertiroidismo. Em muitos casos, a cirurgia poderá ser indicada, exibindo resultados satisfa­tórios. É mais comum em indivíduos com mais de 40 anos.

Os sintomas são os mesmos da modalidade de hipertiroidismo anterior, com exceção dos olhos saltados e das demais disfunções oculares. Outros sintomas podem também aparecer na doença de Plummer: insuficiência cardíaca, atrofia muscular e diarréia. No começo, o doente exibe interesse sexual anormalmente aumentado, mas que aos poucos vai declinando, até a impotência e a infertilidade. Sintomas como emagrecimento, ansiedade e nervosismo costumam ser menos intensos na doença de Plummer que na doença de Basedow.

Quando a tiróide cresce muito pode comprimir estruturas vizinhas, como esôfago e traquéia, surgindo dificuldades respiratórias e de deglutição.

 

Hipotiroidismo

 

Como vimos, o hipotiroidismo em crianças produz cretinismo. Deve-se a fatores como ausência congênita da tiróide ou desenvolvimento insuficiente da mesma. Há casos em que a glândula parece normal, mas o hormônio apresenta defeitos em sua estrutura química. A deficiência de iodo na dieta da criança também leva ao cretinismo. Entre os sintomas do cretinismo, estão: pele desvitalizada, grossa, enrugada, seca, fria e amarela. O rosto é largo, o nariz é curto e voltado para cima, a língua é grande, os lábios grossos. A boca mantém-se aberta, com contínuo escorrimento de saliva (baba). Geralmente os doentes de cretinismo apresentam temperatura corporal mais baixa, são fisicamente pouco desenvolvidos, comem mal, sofrem de prisão de ventre, incham com facilidade. O retardo mental é mais ou menos intenso, conforme o caso. Quando o cretinismo é diagnosticado cedo, a administração de hormônios da tiróide pode atenuar o progresso da doença, melhorando consideravelmente o prognóstico. Mas o doente precisará tomar hormônios tiroi­de­anos por toda a vida.

O hipotiroidismo faz com que a glândula aumente de tamanho, numa tentativa de compensação. É o anties­té­­­­tico papo ou bócio.

O hipotiroidismo em adultos produz o mixedema. Uma das causas é a atrofia da tiróide por exposição a radiações. Pode instalar-se atrofia funcional progressiva da glândula, de causa desconhecida. A causa autoimune vem sendo sugerida. Os sintomas do mixe­dema são bem conhecidos: obesidade; lentidão da fala e movimentos; alteração de personalidade; sonolência; indiferença; a voz torna-se mais grave; a pele fica fria, grossa e seca; as mãos parecem amarrotadas; caem os pêlos da cabeça, inclusive as sobrancelhas; há prisão de ventre e hipersensibilidade ao frio; o ritmo cardíaco é lento, ocorrendo cansaço ao menor esforço — às vezes, os mixedematosos tornam-se surdos, depressivos e dementes.

Há casos, porém, em que se verifica discreta diminuição da atividade da glândula. Os sintomas são mais brandos, manifestando-se principalmente obesidade. O paciente engorda mesmo comendo bem pouco.

 

Tratamentos convencionais

 

Como vimos, há várias modalidades de distúrbios tiroideanos: males congênitos (que levam, por exemplo, ao cretinismo), hiperatividade (doença de Graves), adenoma (como na doença de Plummer), hipoatividade etc. Conforme o tipo de distúrbio, o tratamento variará. Poderá exigir cirurgia no caso de tumores, tratamento com hor­mô­nio — como no caso de hipofunção ou tiroidectomia (extração cirúrgica da tiróide) — e até tratamento com iodo, que inibe a produção de TSH, o hormônio estimulante da tiróide, entre outros recursos. O bócio simples (não tóxico), por deficiência de iodo, é corrigido com acréscimo de certos alimentos ricos em iodo na dieta, como sal iodado, algas marinhas, agrião etc. O tratamento exato para cada caso deverá ser definido, e acompanhado de perto por um especialista. O prognóstico poderá ser muito bom.

 

A tiróide é uma glândula situada na parte frontal do pescoço, envolvendo a traquéia. Sua função é de importância vital no organismo: produz hormônios que regulam o crescimento, o desenvolvimento e a manutenção do metabolismo.

A produção de energia necessária ao funcionamento do corpo é regulada pela tiroxina, hormônio tiroideano. A importância desse hormônio é demonstrada pelos sérios transtornos verificados na deficiência (hipotiroidismo) ou no excesso de produção (hipertiroidismo).

Uma criança que nasce com insuficiência de tiróide exibe triste quadro: desenvolve-se mal física e mentalmente, apresentando o distúrbio conhecido como cretinismo.

A insuficiência tiroideana no adulto produz metabolismo lento, obesidade, sonolência, entre outros sintomas que estudaremos a seguir.

Já a atividade excessiva da tiróide produz agitação, taquicardia, nervosismo, exoftalmia e magreza.

 

Tiróide

 

Sugestões naturais

As sugestões naturais não suprimem o tratamento médico.

Os estudiosos do naturismo médico explicam que doenças glandulares exprimem profunda perda da capacidade do organismo de se autogerenciar. Requerem, portanto, tratamento a longo prazo, com desintoxicação bem conduzida e individualizada. Seria difícil apresentarmos aqui um plano que se adequasse a todas as situações.

Tradicionalmente, aplicar compressas de folhas de algas marinhas escaldadas (como wakame, kombu etc.) diretamente no pescoço, sobre as glândulas (de uma a três horas diárias), ajudaria a diminuir a “papeira”, algumas vezes de modo rápido e notável.

O doente de hipertiroidismo, por exemplo, sente a necessidade de ingerir mais alimentos que o normal, devido ao aumento do metabolismo basal. Deverá suprir essa necessidade com alimentos naturais, como mel de abelhas. O doente de hipotiroidismo, ao contrário, não exibe grande apetite. Em todos os casos, recomenda-se dieta natural, com períodos de desin­toxica­­­­­­ção, nos quais se suprime uma refeição, substituindo-a por sucos natu­­­­­rais ou frutas.

O uso de coalhada em jejum, por pelo menos dois dias na semana, beneficia a performance intestinal, melhorando as condições gerais do metabolismo.

Plantas com alto teor de clorofila e minerais, como tanchagem, alfafa, algas marinhas e clorela, são indicadas pelo seu poder estabilizador do metabolismo. Sugere-se tomar os chás dessas plantas ou acrescentá-las à alimentação (uma colher, das de sopa, das plantas para 300ml de água. Ferver e filtrar; de duas a três xícaras ao dia). Ingerir de seis a doze comprimidos diários de 250mg clorela.

No hipotiroidismo, consumir amplamente aveia, em sopas ou mingaus.

No hipertiroidismo, tomar suco de cenoura com cebola e salsão antes do almoço (um copo pequeno).

No hipertiroidismo, 60ml diários de suco de mastruço fresco.

Um banho de tronco diário é muito bom para combater a prisão de ventre no hipotiroidismo e o nervosismo no hipertiroidismo.

A prisão de ventre no hipotiroidismo deve ser combatida com dieta rica em fibra (ver prisão de ventre).


Programa Saúde Total

Levando informações aos ouvintes sobre saúde e qualidade de vida, valorizando os benefícios da natureza: ar puro, atividade física, água, luz solar, alimentação, repouso, abstinência e muito mais.