Artrite Gotosa

Artrite Gotosa

 Provocada pelo aumento do ácido úrico no sangue, que é uma substância residual da decomposição dos ácidos nucléicos, presentes em todas as células do corpo. Formado também como produto de degradação do metabolismo das proteínas, circula no sangue, sendo eliminado pela urina. Pequena parte do ácido úrico passa para o intestino, sofre decomposição pelas bactérias e é eliminada pelas fezes. Quando aumenta anormalmente no sangue, pode causar a gota, doença reumática muito incômoda. Ocasiona também cálculos renais.

O que faz o ácido úrico subir? Certos defeitos genéticos podem comprometer a eficiência da xantina-oxidase, enzima necessária à excreção de ácido úrico, ocasionando hiperuricemia, ou aumento dos níveis de ácido úrico circulante. Determinadas doenças renais, leucemia e anemia hemolítica também tendem a aumentar o ácido úrico no sangue. Certas drogas, má alimentação, alcoolismo e desnutrição calórica acentuada também podem exibir esse efeito.

O paciente de artrite gotosa precisa adotar dieta controlada, alcalinizante, tanto quanto possível livre de purinas e ácido úrico.

Alimentos muito ricos em proteínas, purinas e ácido úrico contribuem para aumentar este último no sangue. Deve-se evitar a ingestão excessiva de gordura. Especialmente carnes e vísceras devem ser excluídas. São muito ruins para quem sofre desse mal: arenque, anchova, cavala, mexilhão, marisco, sardinha, consomê, coração, rim, fígado, miolo, extratos e molhos de carne, timo, ganso, perdiz, ova e escalope. As carnes magras (“recomendadas” como substitutas das frações gordas por conterem “menos colesterol”) são as principais fornecedoras de purinas e ácido úrico. Grãos secos (feijão, lentilha, grão-de-bico, ervilha etc.) e amendoim precisam ser evitados por algum tempo e depois reintroduzidos na alimentação gradativamente. Aspargo, couve-flor, champignon e espinafre devem ser consumidos com moderação. Cereais integrais também devem ser usados em quantidades limitadas. Fermento biológico e levedura de cerveja contribuem para aumentar no sangue o ácido úrico. Alimentos fermentados quentes devem ser evitados. O pão nunca deve ser consumido fresco, mas “dormido” e, de preferência, torrado.

A dieta de baixas calorias também leva ao aumento do ácido úrico no sangue, pois o organismo passa a “queimar” proteínas para compensar o déficit energético. O paciente de artrite gotosa que precisa emagrecer não deve adotar dieta muito pobre em calorias, mas adequadamente balanceada.

Maiores detalhes sobre esse assunto você encontrará em ácido úrico, (página 143).

 


Programa Saúde Total

Levando informações aos ouvintes sobre saúde e qualidade de vida, valorizando os benefícios da natureza: ar puro, atividade física, água, luz solar, alimentação, repouso, abstinência e muito mais.