Afonia

Afonia

 Vários distúrbios do organismo podem se responsabilizar por essa manifestação.

A irritação da laringe, onde se localizam as cordas vocais, pode levar à afonia. Faringite, amigdalite e gripe — afecções do aparelho respiratório — podem afetar a laringe e ocasionar afonia. O vício do fumo e certos tumores do aparelho respiratório ou mesmo nas cordas vocais podem levar à afonia crônica.

A afonia pode tornar-se doença profissional, quando é necessário falar continuamente. Esse é o caso do professor, pregador, locutor, apresentador de programas, vendedor etc.

Causas mais graves para a rouquidão são: paralisia das cordas vocais secundária a um tumor no cérebro, ou acidente vascular cerebral (derrame), e o tumor maligno de laringe, o qual pode exigir a laringectomia (extirpação cirúrgica da laringe).

Às vezes contribuem para o aparecimento da afonia problemas psíquicos. Pessoas sempre tensas e ansiosas e pacientes de neurose histérica podem desenvolver tendência à rouquidão.

O ar poluído é fator de irritação da laringe. Os que têm mucosa respiratória sensível devem evitar ambientes poluídos.

Certas manifestações alérgicas podem favorecer o surgimento da afonia. Pessoas que têm alergia à poluição, à poeira e ao mofo podem às vezes responder com afonia, quando expostas àqueles alér­genos.

Os estudiosos do naturismo médico culpam também inflamações do tubo digestivo, provocadas pela má alimentação, particularmente a acidez digestiva.

A rouquidão constante merece, quanto antes, avaliação médica.

 

Compressa na garganta

 

Compressas aquecedoras na garganta ajudam a aliviar as crises.

Como fazer: Molhar em água, à temperatura ambiente, um pano de algodão, torcer e aplicar, dobrado, sobre a parte anterior do pescoço. Assim que esquentar, molhar novamente em água, à temperatura ambiente. Repetir esse procedimento três ou quatro vezes.

Sugestões naturais*2

 

Agrião — Bater no liquidificador duas colheres, das de sopa, de agrião fresco picado com meio copo de água. Tomar, coado, uma hora antes do almoço.

Aipo — Cozer quatro colheres, das de sopa, de folhas frescas picadas de aipo em um litro de água. Misturar com leite fresco e adoçar com mel. Tomar em jejum.

Azeite — Fazer gargarejos com a seguinte mistura: azeite (uma colher das de sopa), uma gema de ovo e suco de um limão, bem batidos.

Cenoura — Preparar caldo concentrado do cozimento de três cenouras médias picadas em 350ml de água e tomá-lo ligeiramente adoçado com mel (uma colher das de sopa), morno. Deixar cozer por duas horas e coar.

Groselha vermelha — Tomar o infuso das folhas da groselheira vermelha, duas a três xícaras ao dia. Derramar meio litro de água fervente sobre três colheres, das de sopa, das folhas picadas. Deixar que amorne e coar. Fazer gargarejos com o chá das folhas e tomar o suco aquecido das frutas.

Maçã — Cozinhar duas maçãs médias picadas em meio litro de água. Coar, adoçar com mel de eucalipto e beber o líquido quente, aos goles, vagarosamente, ao deitar.

Pepino — Tomar suco de um pepino médio, preparado na centrífuga, com uma colher, das de sopa, de mel. Fazer compressas locais com cataplasma de polpa de pepino. Renovar várias vezes ao dia.

Pimenta-de-caiena — Um dos melhores remédios naturais contra a rouquidão é a pimenta-de-caiena. Em um pouco de água colocar uma pitada dessa pimenta, em pó. Mexer bem e tomar de uma vez.

Rábano — Fazer gargarejos com suco diluído meio a meio de rábano.

Repolho — Aplicar cataplasmas de folha de repolho no pescoço.

 

Outros procedimentos

 

A respiração correta é fundamental no tratamento da tendência à afonia. O estresse da vida moderna faz-nos respirar superficialmente e vibrar defi­cientemente as cordas vocais, ao falarmos. Recomendam-se exercícios respiratórios.

Afonia ou rouquidão é a famigerada perda da voz, que pode ser parcial ou total.

Alimentação

São contra-indicados alimentos muito quentes ou frios, que irritam o tubo digestivo e respiratório. Evitar vinagre, molhos industrializados, frituras e outros alimentos que possam ocasionar regurgitação ou azia (queimação ou pirose). Se há gastrite e queimação, é preciso tratar. Açúcar, guloseimas, refrigerantes, chocolate, confeitos, balas, chicletes e carnes devem ser evitados numa alimentação saudável. Não abusar das massas. Quanto ao álcool e ao fumo, precisam ser abolidos.

Dieta natural terapêutica*1

*1 Estas sugestões dietéticas estão de acordo com a proposta de clínicas naturistas. A individualização da dieta poderá requerer orientação profissional.

 

*2 Sugestões naturais podem apresentar, na prática, bons resultados, mas não suprimem o estudo das causas.

 

Os naturistas recomendam dieta que ajude a “desinchar” os tecidos e abrandar as inflamações. Esta dieta é rica em frutas e líquidos.

Passar um dia por semana com a seguinte dieta líquida. Manter certo repouso:

Uma hora antes da primeira refeição, em jejum, tomar a bebida alcalinizante. (Ver modo de preparar à página 138).

8h — suco de maçã com mamão

11h — laranja

14h — cenoura

17h — laranja

20h — maçã

Observação: As quantidades são livres. Não adoçar os sucos. Utilizá-los frescos. Havendo fome intensa, podem-se usar algumas torradinhas de pão integral depois do último suco.

Se necessário e possível, passar ainda alguns dias com essa dieta ou consumir suco de fruta no lugar do desjejum ou jantar. Pode-se usar suco de maçã, preparado na hora, na centrífuga.

Ao deitar, tomar uma colherinha de mel de eucalipto com 5 gotas de própolis.

Plantas*2

Tomar dois goles de chá de angélica, morno, de meia em meia hora, até que os sintomas aliviem. São muito bons os gargarejos com chá forte de casca de cebola com tanchagem, que se podem repetir a cada duas horas. Podem-se também mascar pequenos pedaços de gengibre, ou mastigar algumas sementes de mamão. Chá de pulmonária, morno, tomado lentamente duas xícaras ao dia), é outra indicação muito útil. Escolher um desses procedimentos.

Dosagem tradicional: Uma colher rasa, das de sopa, da planta seca para cada duas xícaras de água. Deixar ferver por três minutos. Coar. Nos gargarejos pode-se usar o triplo dessa dose.

Você sabia?

Maçã (Pirsus malus)

É tradicionalmente indicada para combater estresse, flatulência, reumatismo e sinusite.

Modo de usar: Subs­ti­tuir uma refeição do dia por maçãs, de preferência o desjejum.

 

 


Programa Saúde Total

Levando informações aos ouvintes sobre saúde e qualidade de vida, valorizando os benefícios da natureza: ar puro, atividade física, água, luz solar, alimentação, repouso, abstinência e muito mais.