Acne

Acne

 Os adolescentes freqüentemente ficam com o rosto cheio de espinhas, não tão incômodas quanto feias e malquistas. O aumento da atividade glandular, nesta fase da vida, predispõe à acne. As glândulas sebáceas passam a segregar mais produto oleoso (sebo), cuja função é lubrificar a pele. É justamente o excesso de secreção sebácea que obstrui e dilata os poros, propiciando infecções.

Quando o sebo se acumula debaixo da pele, pode formar-se um cisto.

A acne vulgar, comum na adolescência, é favorecida por alterações hor­monais que ocorrem nessa fase do ciclo vital. Distúrbios hormonais fora da adolescência também propiciam o aparecimento da acne. Ovários policísticos podem, por exemplo, provocar esse distúrbio. A má alimentação do adolescente é considerada, por muitos estudiosos, fator causal de assinalada importância. Diversos distúrbios orgânicos podem favorecer a acne.

A causa hereditária merece citação. Acredita-se que certa tendência genética leva ao aparecimento de acne em vários membros de uma mesma família.

Há inúmeros outros fatores que concorrem para o surgimento de acne, especialmente em pessoas suscetíveis: exposição excessiva ao sol, certas condições climáticas, mudanças de estações, determinados tipos de maquiagem, anticoncepcional oral, produtos químicos, como alguns hidrocarbonetos, drogas, como corticosteróides e androgênios (que aumentam a secreção de óleo pela pele), barbitúricos, isoniazida, rifamicina, brometos, iodetos, cosméticos à base de óleo, contato regular com óleos de cozinha ou óleos minerais.

 

Cuidado com cosméticos!

 

As mulheres precisam ficar de olho nos cosméticos. Os que contêm óleo podem provocar acne. Substâncias como corantes vermelhos D e C, lanolina, miristato de isopropila, lauril-sulfato de sódio e laurete-4, presentes em cosméticos, podem desencadear acne em pessoas sensíveis. Para a saúde da pele, excesso de cosméticos, cremes e ma­-q­uia­gens,­ é contra-indicado. Se o organismo funciona bem, a pele o revelará por textura e coloração sadias.

 

Espremer ou não espremer as espinhas?

 

Muitos têm o costume de espremer as espinhas, mas isto, na maioria das vezes, só piora a situação, pois favorece a disseminação de microorganismos, além de deixar marcas permanentes. As espinhas do rosto contêm micro­organismos muito resistentes, como os estafilococos. Ao espremê-las, bacté­rias podem, excepcionalmente, cair no sangue e dirigir-se ao sistema nervoso central, provocando até meningite!

Entretanto, quando há uma pequena bolsa de pus a ponto de estourar, pode-se espremer delicadamente, para drenar o pus, o que favorecerá a cura. No entanto, é preciso proceder à as­sepsia do local, com álcool, e lavar muito bem as mãos. Se há várias espinhas juntas, inflamadas, com pus, não se deve espremer, mas consultar um dermatologista. Nunca espremer espinhas na região do nariz, pois a veia angular do nariz faz anastomose com a oftálmica superior, levando a infecção para dentro do crânio e provocando complicações graves como trom­boflebites.

Própolis contra as espinhas

 

Sugestão prática dos terapeutas naturistas: Quando uma espinha começa a nascer, a aplicação de própolis em solução alcoólica duas ou três vezes ao dia diretamente sobre ela, massageando pode, em muitos casos, impedir que continue a crescer. É bem possível que evolua rapidamente para a cura!

Banhos

 

Recomendam-se dois ou três banhos de tronco semanais (ver página 105), para estimular o funcionamento intestinal. Diariamente deve-se tomar banho frio rápido, antes do qual convém fazer aquecimento com exercícios e fricções. Usar bucha natural para as fricções. Tomar pelo menos uma sauna por semana, salvo contra-indicação médica (a sauna é geralmente contra-indicada para diabéticos, hipotensos e portadores de insuficiência cardíaca).

 

Geoterapia (emprego de argila)

 

Máscara de argila, que se pode deixar durante a noite: uma camada fina de argila branca, que se mistura com água, e uma colher, das de sopa, de azeite virgem de oliva. Retirar, aplicando uma mistura de azeite com limão. Cataplasmas abdominais de argila, para favorecer o funcionamento intestinal, são também muito indicadas (ver página 114). Fazer cataplasma de argila alternadamente ao banho de tronco, isto é, no dia em que aplicar argila não tomar banho de tronco, e vice-versa.

Outros recursos

 

Sabonetes à base de enxofre e peróxido de benzoíla, à venda em farmácias, ajudam a atenuar o problema. Há também gel, loção, líquido e creme à base de peróxido de benzoíla. Pessoas­ de pele seca não devem usar esse produto em alta concentração. É necessário, também, durante o tratamento, evitar a exposição ao sol. Lavar bem o rosto antes de qualquer aplicação.

Os derivados da vitamina A são às vezes receitados. Entre eles o ácido retinóico, o acutane. Entretanto, não convém misturar remédios, nem usá-los­ sem orientação profissional.

O tratamento com luz ultravioleta pode ser útil nos casos mais renitentes.

As drogas retinóides oferecem múltiplos riscos, podendo mesmo ocasionar malformações congênitas, quando usadas na gravidez.

Modernamente usa-se a técnica da dermabrasão (remoção da camada superior da pele) quando a acne deixa grandes cicatrizes.

A conduta em cada caso deve ser estabelecida por um dermatologista.

 

Acne é a inflamação de pequenas estruturas da pele chamadas pilossebáceas. Primeiro aparece o cravo, a espinha ou o comedão, que se inflama e pode formar pus. Cada um desses pontos de inflamação com pus é um pequeno abscesso. É comum que um pequeno carrapato, o Demodex folliculorum aproveite-se da inflamação e aloje-se no cravo. Acne é, portanto, um termo genérico que abrange afecções popularmente conhecidas como cravos, espinhas etc.

A acne surge mais freqüentemente no rosto, mas pode aparecer em qualquer lugar onde se concentrem glândulas sebáceas, como o centro do peito, o alto das costas e o pescoço.

Alimentação

Suplementos

É preciso adotar alimentação regular e correta, deixando o mau hábito de usar lanches ligeiros (fast-food), sanduíches, bolos, biscoitinhos, refrigerantes, doces, chicletes etc. Evitar açúcar, frituras, alimentos gordurosos como margarina, banha, manteiga, carnes, queijos, chocolates e guloseimas.

Há suspeitas de que alimentos ricos em iodo possam deflagrar acne em pessoas sensíveis. Entre esses alimentos: frutos do mar, aves, vísceras, algas e aspargo.

Os naturistas, bem como qualquer nutricionista ou médico sensato, concordarão em que a indisciplina alimentar contribui de modo decisivo para o aparecimento ou pelo menos o agravamento da acne. Milhares de pacientes já constataram isso. Apesar das evidências, entretanto, algumas pesquisas médicas tentam convencer os profissionais de saúde de que a alimentação nada tem a ver com a acne.

No mundo da terapia nutricional vêm surgindo boas notícias no tratamento da acne:

O complexo B, em associação com vitaminas A e E, pode ajudar. Usar diariamente um pouco de suco de cenoura, germe de trigo e 9 a 12 comprimidos de levedura de cerveja.

Em alguns casos, suplementos à base de gluconato de zinco (algo como 20mg diários) podem ser muito úteis. Observar prescrição médica.

Para a acne associada ao ciclo menstrual o uso de vitamina B6, numa dose perto de 20mg diários, tem-se revelado promissor. Seguir orientação profissional.

*As dietas terapêuticas naturais são empregadas em clínicas naturistas e por medicinas tradicionais. Adote alimentação saudável, mas não mude radicalmente sua alimentação sem orientação profissional.

 

Dieta terapêutica natural*

Um dia por semana, a seguinte dieta: só refeições de frutas (ou sucos feitos na hora) a cada três horas: maçã, uva, melão, melancia, laranja ou mamão. Uma qualidade de fruta em cada refeição. Na última refeição, se houver fome intensa ou fastio, pode-se tomar um caldo leve de legumes com torradas de pão integral (primeiro o caldo, depois as torradas). Mas, para efeito de desintoxicação, os naturistas recomendam preferivelmente as frutas. Manter relativo repouso, pois poderá haver alguma sensação de fraqueza. Não adotar esta dieta em dia de atividade normal.

Escolher outros três dias na semana (não seguidos) para desjejum ou jantar de uma só qualidade de fruta, como uva, melancia, melão, pêssego, mo­­­rango, maçã ou mamão. Antes do desjejum, tomar a bebida alcalinizante. (Ver modo de preparar à página 138). No intervalo entre desjejum e almoço, se houver fome intensa, sugere-se água-de-coco, suco ou fruta. Antes do desjejum, tomar a bebida alcalinizante (ver modo de preparar à página 138). Almoço natural e saudável. Jantar cedo, uma refeição mais leve que o almoço. Manter durante um mês, pelo menos, este programa de três dias semanais de desjejum ou jantar de frutas.

Três limões por dia, em horários distantes das refeições. Deve-se diluir com água, mas sem açúcar.

Pelo menos dois dias por semana tomar em jejum um copo de coalhada, exclusivamente (como desjejum).

Se houver algum problema no intestino, é preciso tratar.

Quando adotar dieta normal acrescentar meia colher, das de sopa, de germe de trigo no desjejum e meio copo pequeno de suco de cenoura um pouco antes do almoço. Usar também 3 a 6 comprimidos de levedura de cerveja por refeição.

Plantas

Chás depurativos e diuréticos, como chapéu-de-couro, cinco-folhas, dente-de-leão, japecanga, malva, mil-em-rama (mil-folhas), bardana e sete-sangrias, são indicados. Duas a três xícaras ao dia, em cozimento, a associação de dois por vez, durante 4 ou 5 dias (mudar a mistura de chás depois desses dias). Em jejum (pelo menos meia hora antes da primeira refeição), tomar chá de chapéu-de-couro com cavalinha e acrescentar umas 15 gotas de própolis a 30%, e meio limão.

Modo tradicional de preparo: Uma colher, das de sopa, da mistura das ervas para cada duas xícaras de água. Deixar ferver por 3 minutos. Coar.

De tempos em tempos é preciso substituir os chás. Parar de usá-los por alguns dias (três a cinco dias), e nesse período de abstinência ingerir água abundantemente, ou água com limão.

O programa específico de fitoterapia deve ser estabelecido e conduzido por profissional experiente.

Receitas naturais

Abacaxi — Misturar duas colheres, das de sopa, de mel com ½ xícara, das de chá, de suco fresco de abacaxi. Mexer até obter uma pasta. Espalhar sobre a pele, massageando suavemente. Deixar por meia hora. Enxaguar com água fria.

Alimentos crus — Adotar dieta de alimentos crus por alguns dias e tomar água-de-coco nos intervalos.

Feijão — Escolher feijões-brancos e pô-los de molho em vinagre até que as películas se desprendam. Deixar secar ao natural. Colocar num pilão e socar até reduzir a pó, ou moer. Misturar esse pó com leite de amêndoas doces, formando massa consistente. Aplicar essa pasta sobre as espinhas, deixando por cinco minutos. Remover com pano macio e seco. Não usar durante os dias da menstruação.

Frutas cruas — Substituir, ao longo de semanas, uma refeição diária por figos, que agem como depurativos. Pode-se escolher outra fruta, como mamão, maçã, uva, pêra, laranja ou abacaxi.

Pepino — Tomar seis pepinos maduros. Biparti-los em sentido longitudinal. Retirar a polpa e colocá-la em um vidro de boca larga. Bater uma clara de ovo, juntar 100g de água de rosa e deitar sobre a polpa no vidro. Mexer bem. Acrescentar 50g de álcool puro. Guardar a mistura em frascos e tampá-los bem. Agitar antes de usar. Usar contra manchas, sardas, rugas etc., e para suavizar e embelezar a pele.

 

 

Você sabia?

Uva (Vitis vinifera)

É tradicionalmente indica­da para combater bronquite, arteriosclerose etc.

Modo de usar: Fazer algumas refeições exclusivas de uva, sem misturar com outro alimento.


Programa Saúde Total

Levando informações aos ouvintes sobre saúde e qualidade de vida, valorizando os benefícios da natureza: ar puro, atividade física, água, luz solar, alimentação, repouso, abstinência e muito mais.