Aborto

Aborto

 O aborto permitido e o aborto ilegal

 

O aborto induzido é a interrupção da gravidez por intervenção médica, só permitido no Brasil em situações especiais, como estupro e risco de vida para a mãe. Em alguns países permite-se o aborto também por outros motivos, como a constatação de defeitos congênitos graves, entre os quais a anen­cefalia (ausência de cérebro).

O aborto espontâneo pode constituir urgência médica, requerendo, portanto, imediato encaminhamento a um pronto-socorro ou unidade especializada de tratamento.

Nosso objetivo é falar sobre a prevenção do aborto por meios naturais.

 

Quando o aborto é confundido com menstruação irregular

 

Não é raro acontecerem um ou mais abortos espontâneos ao longo da vida fértil de uma mulher. Quando o embrião apresenta malformações sérias,­ a Natureza trata de expulsá-lo, e isso acontece, na maioria dos casos, nos três primeiros meses de gravidez.

Muitas vezes, a mulher não chega a tomar conhecimento da gravidez nem do aborto, confundindo o sangramento com nova menstruação, talvez um pouco fora de tempo, ou atípica. É comum perceber que o sangramento não é normal, vindo com grandes coágulos de sangue. Quando, depois de um ou dois períodos sem menstruação, ocorre sangramento forte, é possível que esteja acontecendo aborto.

 

Aborto depois do terceiro mês

 

Qualquer sangramento genital, principalmente depois do terceiro mês de gra­­­­­videz, exige imediata avaliação mé­dica. O aborto nessa fase é mais freqüentemente causado por problemas no organismo materno, como a insufi­ciência do colo do útero, problemas hormonais, anomalias genéticas, infecções crônicas e doenças auto-imunes.

Causas

 

São inúmeras. Mas podem ser didaticamente divididas em duas: as que se referem ao ovo, embrião ou feto (causas ovulares), e as que se referem ao organismo materno (causas extra-ovulares).

No primeiro grupo de causas (ovulares) verificam-se anomalias no embrião, que levam à sua morte. O corpo da mãe expulsa, então, o material malformado ou morto, como reação espontânea de defesa contra um corpo estranho. Isso ocorre, na grande maioria das vezes, antes do terceiro mês de gravidez, e quase metade de todos os abortos acontece por esse motivo.

Nas causas maternas ou extra-ovulares há algum problema no organismo da mãe que impede o desenvolvimento normal do ovo, como alte­rações anatômicas ou fisiológicas do aparelho genital feminino, distúrbios hormonais e afecções gerais. Exemplo de causa ana­tômica é o útero pouco desenvolvido, pe­queno, ou mal posicionado. Inflamações do revestimento interno do útero, como a endometrite, ou a má irrigação sangüínea desse órgão, somada à ineficiência da placenta em nutrir o embrião, são causas extra-ovu­lares de aborto. Certas disfunções do ovário podem diminuir a secreção de hormônios relacionados aos fenômenos do início da gravidez, como implantação do ovo. Essas disfunções acontecem no corpo lúteo, estrutura do ovário que atua na gravidez, e ocasionam, bem cedo, freqüentes abortos. Intoxicações por metais pesados, como chumbo e mercúrio, ou certas plantas de ações tóxicas, como a arruda, podem favorecer o aborto.

Doenças como sífilis e toxoplasmose podem provocar abortamentos. Afec­ções gerais que comprometem profundamente a saúde da mãe podem contribuir para o aborto espontâneo, como câncer, diabetes melito, hiperti­reoidismo, tuberculose e cirrose hepática. As sugestões naturais aqui citadas, neste caso, só devem ser adotadas com permissão médica.

Conselhos do Dr. Zofchak para evitar o aborto espontâneo

 

Famoso herborista americano, com quase 50 anos de cura pelas ervas, o Dr. George Zofchak recomenda as folhas da framboesa, na forma de chá, durante a gravidez. Segundo ele, esse fitoterápico fortalece a ligação do feto e facilita o parto. Conta que sua esposa, Irene, não conseguia manter a gravidez, tendo sofrido vários abortos. Estudando a literatura sobre plantas, descobriu a folha da framboesa. Diz ele: “Embora eu vendesse ervas e chás de ervas havia muitos anos, não me ocorrera a utilidade das folhas da framboesa... Assim, Irene começou a tomar algumas xícaras de chá de folhas de framboesa logo que ficou novamente grávida. Tudo correu às mil maravilhas, mesmo já tendo passado dez anos do nascimento do nosso primeiro filho. No ano seguinte, Irene teve outra gravidez, tranqüila e bem-sucedida.” (Cura Natural, de Mark Bricklin).

Recomendamos que, em cada caso, se estude a indicação conveniente com auxílio de um especialista e se obtenha orientação médica.

 

 

As urgências, como vimos, requerem imediata atenção médica ou encaminhamento a uma unidade de pronto-socorro.

Em circunstâncias em que tais providências não sejam possíveis, ou enquanto se aguarda socorro:

1. A paciente deve procurar ficar relaxada e deitada, evitando movimentos bruscos até que o sangramento cesse por completo.

2. Aplicações de gelo sobre o baixo-ventre (abaixo do umbigo) durante 10 ou 15 minutos, ou aplicações de panos molhados em água fria ajudam a deter a hemorragia. De cinco em cinco minutos molhar novamente o pano em água fria e torcer.

3. A hemorragia persistente exige, quanto antes, socorro médico.

4. Enquanto houver vestígio de sangue, e mesmo vários dias depois de cessado o sangramento, exige-se total abstinência de relações sexuais.

 

Aborto é a expulsão do feto antes do fim da gravidez, sem possibilidade de sobrevivência. Aqui falamos não do aborto criminoso ou provocado, mas sobre a tendência de abortar por problemas orgânicos, traumas ou outras causas, o aborto espontâneo, que acontece antes da 28ª semana de gravidez. A partir dessa semana diz-se que o feto é viável, isto é, capaz de sobreviver fora do ambiente uterino sem apoio artificial.

Sugestões naturais para a prevenção*

* As sugestões tradicionais para a prevenção do aborto espontâneo são aqui citadas para fornecer dados a eventuais pesquisas. Só as empregue com permissão médica.

 

O tratamento para a tendência ao abortamento espontâneo deve ser acompanhado por um médico especialista.

A prevenção natural para a tendência ao abortamento segue uma linha geral:

Fora da gravidez pode-se proceder a uma desintoxicação que pode ser de caráter brando, a longo prazo. Substituir uma refeição por suco de fruta, durante várias semanas ou meses. Sugere-se o suco de melão, não adoçado. Fazer refeições exclusivas de melão.

Adotar alimentação saudável é necessário ao equilíbrio das funções orgânicas. Ver capítulos 4 e 5 (página 31 em diante).

Exercícios físicos moderados, orientados, como natação, ciclismo e caminhadas regulares, diárias (obter permissão médica).

Um banho genital e uma aplicação pélvico-abdominal de argila ao dia são sugeridos na prevenção de distúrbios do sistema genital.

São tradicionalmente sugeridos chás depurativos e específicos da função reprodutora, como: abútua, agoniada, joão-da-costa, dente-de-leão e algodoeiro, usados fora da gravidez, orientados por um especialista. A dosagem tradicional é uma colher, das de sopa, da planta picada para meio litro de água. Ferver e filtrar. Uma a duas xícaras diárias.

Conselhos gerais e primeiros socorros

 

 


Programa Saúde Total

Levando informações aos ouvintes sobre saúde e qualidade de vida, valorizando os benefícios da natureza: ar puro, atividade física, água, luz solar, alimentação, repouso, abstinência e muito mais.