ANGÉLICA

ANGÉLICA

ANGÉLICA
(Archangelica officinalis, Angélica archangelica).
 
 
FAMÍLIA: Umbelíferas.
 
OUTROS NOMES: Arcangélica, raiz-do-espírito-santo, angélica-do-jardim, angélica –da-boêmia.
 
DESCRIÇÃO: Planta herbácea. Haste cerrada, fistulosa, suculenta. Folhas compostas. Folíolos opostos: uns oval-alongados, outros irregularmente recortados em lobos, serreados. As flores, brancas, volumosas, de bordos lancinados, cheiro muito agradável, desabrocham em grupos, num caule tubuloso. O fruto é uma cápsula ordinária.
 
USO MEDICINAL: É estimulante, carminativa, depurativa, diurética, estomacal, emenagoga.
Usa-se para: bronquites, cãibras, cefalalgia, clorose, convulsões, cólicas, debilidade e dilatação do estômago, digestões difíceis, enfermidades do peito e da garganta, dos pulmões, fígado, rins e bexiga, escorbuto, gota, hipo, histerismo, paludismo, reumatismo, rouquidão, tétano, tifo, ventosidades vômitos.

O chá das raízes de angélica, em mistura com chá de losna, é muito bom para cãibras do baixo-ventre, disenterias e mucosidades pulmonares.

Nas afecções da pele, dores dorsais, reumatismo, emprega-se também o chá da angélica, topicamente, em forma de loções, fricções e compressas.

 

PARTE USADA: Toda a planta.

 

DOSE: Normal.  


Programa Saúde Total

Levando informações aos ouvintes sobre saúde e qualidade de vida, valorizando os benefícios da natureza: ar puro, atividade física, água, luz solar, alimentação, repouso, abstinência e muito mais.