Ácido Pantotênico e Biotina

Ácido Pantotênico e Biotina

 Ácido pantotênico e biotina

 

Ácido pantotênico "Por toda parte”

Pantotênico, nome derivado do grego, significa "por toda parte", indicando a vasta ocorrência desta vitamina. Em 1939, Willians e colaboradores descobriram o ácido pantotênico, substância essencial para o crescimento de leveduras. Logo em seguida, em 1940, ele foi sintetizado.

 

Funções metabólicas básicas

- Essencial ao metabolismo de carboidratos, gorduras e proteínas, o ácido pantotênico é incorporado à coenzima A. Esta coenzima participa da liberação de energia pela célula.

- Está envolvido na síntese de colesterol, hormônios esteróides, porfirina de hemoglobina e fosfolipídios.

- A flora intestinal é capaz de sintetizar o ácido pantotênico.

 

Sintomas de carência

Ainda não foi observada a carência alimentar de ácido pantotênico em condições normais, dada a sua ampla ocorrência na dieta. Experimentalmente, verificou-se cefaléia, insônia, náuseas, espasmos abdo¬minais, desconforto epigástrico e flatulência.

 

Necessidades nutricionais

Ainda não foram estabelecidos requerimentos nutricionais para esta vitamina, já que seu fornecimento adequado pela alimentação está praticamente garantido. Ademais, faltam dados relativos ao seu teor em numerosos alimentos.

 

Biotina

Vários pesquisadores descobriram um fator capaz de combater certo tipo de dermatite em animais experimentais, dando-lhe diferentes nomes, como coenzima R e vitamina H. Posteriormente, verificou-se que se tratavam da mesma substância. Em 1936, Koge e Tonnis isolaram esta vitamina quando estudavam fatores de crescimento de leveduras, dando-lhe o nome de biotina. Em 1942, Du Vigneaud definiu sua forma estrutural, o que possibilitou, em seguida, sua síntese.

 

Funções metabólicas básicas

- A biotina é necessária à atividade de vários sistemas enzimáticos, entre os quais o processo de fixação de dióxido de carbono, em que age como coenzima.

- A síntese e a oxidação de ácidos graxos, e a desaminação de aminoácidos, requerem biotina.

- A biotina encontra-se envolvida no metabolismo do ácido pantotênico e da vitamina B12.

 

Sinais e sintomas de carência

A carência de biotina pode ser induzida em seres humanos e animais através da administração de uma dieta que forneça grande quantidade de clara de ovo cru. A clara de ovo contém uma proteína, a avidina, que dificulta a absorção da biotina e provoca o estado carencial, que nos animais se manifesta como dermatite seborréica, depilação, lassidão, anorexia e diminuição do controle muscular. Não há evidências de carência desta vitamina no homem em condições alimentares normais, haja vista, ademais, que a microbiota (flora) intestinal é capaz de sintetizá-la.

Hipervitaminose

Não há registro de efeitos colaterais tóxicos da biotina.

 

Necessidades nutricionais

Como a síntese da microbiota (microflora intestinal) fornece, possivelmente, boa parte desta vitamina, e os sinais de carência espontânea ainda não foram observa¬dos, até então não houve fixação de valores recomendáveis para a ingestão. Sabe-se, todavia, que a dieta americana média fornece cerca de 150 a 300 mcg/dia de biotina, o que parece adequado.

 

Fontes alimentares

A biotina está presente numa grande variedade de alimentos: em muitos vegetais (frutas como banana, melão, morango e laranja), gema de ovo, leite, cogumelos, amendoim e levedura de cerveja.

 

 


Programa Saúde Total

Levando informações aos ouvintes sobre saúde e qualidade de vida, valorizando os benefícios da natureza: ar puro, atividade física, água, luz solar, alimentação, repouso, abstinência e muito mais.