REMÉDIOS DA NATUREZA: CONFIANÇA EM DEUS

REMÉDIOS DA NATUREZA: CONFIANÇA EM DEUS

 Relação entre mente e corpo

Passemos do assunto do corpo são e da higiene mental a uma relação empolgante: de que modo a mente pode afetar o corpo e vice-versa? Antigamente os cientistas subestimavam esta relação. Alguns chegavam ao extremo de separar a mente e o corpo em dois compartimentos fechados. Hoje, contudo, numerosas pesquisas comprovam a íntima associação entre processos mentais e físicos. Somam-se evidências cada vez mais claras de que nossas doenças podem em significativa parte ser produzidas por nossa cabeça.

Nossa cabeça e nossas doenças

Existem doenças imaginárias? Até que ponto nossa cabeça pode ajudar a produzir doenças? São questões intrigantes, nem sempre fáceis de responder. Os especialistas admitem situações diversas, pois sabem que as relações mente-corpo são de complexidade extraordinária. Grande parte deste assunto permanece inexplorada. Sabemos bem pouco ainda sobre isso. Algumas descobertas, entretanto, são da maior importância. Entre as situações mais comuns em que a mente é responsável por doenças ou anormalidades, poderíamos citar as seguintes:

Psicopatias: Doenças mentais caracterizadas por diferentes desvios da conduta normal. Neste caso, a doença centraliza-se na mente, alienando da realidade, em maior ou menor grau, seu portador e tornando-o inabilitado para o convívio em sociedade. As psicoses são transtornos mentais que desintegram a personalidade. Constituem, portanto, a “loucura”.

Neuroses: As neuroses não são propriamente doenças mentais, mas desajustes emocionais que ocasionam sofrimento mental impedem a pessoa de sentir-se bem consigo mesma e prejudicam o relacionamento com outras pessoas. O principal sintoma de uma neurose é a angústia, que surge como tentativa de resolver conflitos emocionais inconscientes ou relativamente conscientes. Embora possa haver algum comprometimento de raciocínio e conduta, a neurose não ocasiona desintegração da personalidade. Há vários tipos de neurose que vão das fobias às neuroses depres­sivas, passando pela neurose neu­rastênica e a neurose de ansiedade.

Doenças psicossomáticas (provocadas pela mente)

Quando defrontamos situações difíceis com freqüência e intensidade excessiva, não conseguindo dar fuga às tensões, o organismo se ressente, e surgem as doenças psicossomáticas. A úlcera gas­troduodenal de fundo nervoso, a colite nervosa e o diabetes melito são moléstias muito freqüen­temente associadas ao estresse. Pesquisas recentes mostram que praticamente todas as doenças podem ser agravadas ou detonadas pelo estresse excessivo. Até o câncer pode surgir mais facilmente em pessoas muito abaladas pelas tensões. Sabe-se que os fatores de agressão mental diminuem a resistência do organismo e nos expõem aos processos orgânicos que resultam em doenças.

Contornando as agressões externas

Mesmo que o “interior” esteja em ordem ou caminhando para esta ordem, o mundo exterior oferece conflitos que podem freqüentemente afetar a harmonia mental desejável. Mas é perfeitamente possível edificarmos uma “barreira de proteção” entre nós e as tempestades que se precipitam à nossa volta. Embora os ciclones dos problemas possam vez por outra danificar esta “barreira”, precisamos aprender a fazer os reparos e continuar a erigi-la.

A chave da questão é, portanto, saber como construir esta “barreira”. Primeiramente, que significa? O fortalecimento de nossas defesas, a resistência da mente e do corpo. Os materiais básicos, já comentados, podem ser divididos em três grupos:

1 — Cultivo da força espiritual através da busca de relação saudável com Deus e firme confiança nEle.

2 — Cultivo da saúde psicofísica através de cuidados dietéticos e exercícios físicos, trabalho, estudo, descanso e lazer apropriados.

3 — Perseverança para dar rumo edificante aos pensamentos e exercício no domínio sobre palavras e atitudes.

Ingredientes da felicidade

Pense no que está causando suas tensões. Na medida do possível, esforce-se para remover ou contornar estas causas. Muitos, por exemplo, se impacientam em razão de constantes atrasos. Neste caso, é preciso planejar melhor e aplicar-se mais.

Concentre sua atenção e esforço numa atividade por vez. Quem se preocupa com mil tarefas ao mesmo tempo não executa bem nenhuma delas e acaba estressado.

Estudantes e trabalhadores sedentários, que não fazem educação física, dentro de algum tempo sofrerão inevitável queda de rendimento, que às vezes não se nota. Os exercícios físicos são indispensáveis para todos. Fazê-los, contudo, com critério, sob orientação.

Separe tempo para a recreação sadia com a família e/ou os amigos.

Ocupe a mente só com pensamentos bons, nobres e elevados. Cultive bons propósitos e ideais. Leia bons livros sobre a filosofia do êxito. O melhor que podemos recomendar é a Bíblia, devidamente estudada.

Lembre-se de que acima de qualquer ideal acham-se a família e a consciência em paz. Jamais sacrificá-las.

De vez em quando faça um relax natural. Sentado numa posição confortável, esvazie a mente de preocupações e respire lenta e profundamente.

Dormir o suficiente é necessidade básica: nem de mais nem de menos. Antes da hora de dormir, comece a expulsar os pensamentos preocupantes e excitantes. Ao deitar, relaxe.

Coma sem pressa, sentindo o sabor da comida. Expulse lembranças incômodas da mente.

Não dê lugar à impaciência, ao negativismo. Quase sempre criamos para os problemas imagem mental mais negra do que seu real significado. Preocupar-se em demasia torna mais difícil a busca por soluções.

Inegavelmente, existe em nós uma forte entidade espiritual. Confiar em Deus e ser-Lhe fiel é o mais poderoso fator antiestresse. Você confia mesmo em Deus?

Por que ser tão competitivo? Busque ser feliz independentemente da influência e julgamento de outros.

Torne seu trabalho aprazível. Seja caprichoso. Sua função, mes­mo que modesta, é necessária e importante.

A vida oferece rosas e espinhos. Muitos se incomodam tanto com os espinhos que não percebem as rosas. Faça o contrário.

Provérbio chinês: “Se teu mal tem cura, por que te perturbas? Se teu mal não tem cura, para que te perturbas?”

Complicar coisas simples é sinal de ingenuidade. Simplificar coisas complicadas é sinal de maturidade. Encare com serenidade os problemas, mesmo que pareçam complicados. Procure soluções com calma, sem “esquentar” a cabeça. Conforme a maneira de encarar os problemas eles poderão se tornar barreira quase intransponível, ou até um passo avante no plano de amadurecimento do espírito.

Realidade adversa

“É muito fácil dizer…” — contestaria alguém — “mas hoje estes princípios estão meio fora de moda.” Nosso mundo se transformou numa massa de cor­rupção. O homem está a tal ponto cegado por suas ambições egoístas, pelo amor ao dinheiro, que não hesita em dar lugar à falsidade. Orgulho, vaidade e egoísmo imperam incontestes.

“Não há tempo” para parar e pensar. Parece não valer a pena exercitar uma filosofia de vida baseada na honestidade e serenidade num mundo em que imperam a corrupção e o desassossego.

Mas cremos que a paz de consciência, que advém da harmonia com o Criador, e a verdadeira realização pessoal, são jóias­ raras ainda ao alcance do explorador perseverante. E quem deseja conquistar esta incalculável riqueza não achará outro caminho.


Programa Saúde Total

Levando informações aos ouvintes sobre saúde e qualidade de vida, valorizando os benefícios da natureza: ar puro, atividade física, água, luz solar, alimentação, repouso, abstinência e muito mais.